sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Vicios...

E o que eu temia aconteceu... estou viciada em chá, logo eu que há alguns anos atrás não podia nem sentir-lhe o cheiro... agora só falta mesmo começar a juntar-lhe leite!

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Mudanças.

As mudanças não páram e já chateiam. Mudar de casa dentro do mesmo país já é uma complicação e trabalheira, quando se muda de país e quando a mudança é para mais de 1000km de distância a coisa ainda se complica mais. Com a vinda para Londres ficou para trás uma casa e o seu recheio, e por pouco tempo que tenha passado nela sempre se junta muita tralha. Eu vim e a casa ficou... à espera do meu regresso. Mas a decisão está tomada, Portugal não tem espaço para mim, e por muito que custe a aceitar, e sabendo que Londres está carregada de gente, há sempre espaço para mais um.
A viagem está marcada para o inicio de Junho, ao fim de 9 meses vou finalmente voltar a Portugal, principalmente para estar com familia e amigos e trazer os meus gatos para Londres, que tanta saudade tenho deles. Mas infelizmente há também o lado prático da coisa... é preciso tratar de alguma papelada que ficou pendente e entregar a casa... VAZIA! Que pesadelo!!!
Para piorar a confusão ainda vou ter de mudar de casa aqui mesmo em Londres já que não posso ter os meus peludinhos nesta casa (o senhorio não deixa)... Enfim, os tempos dificeis continuam...

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Amiga nova!

Londres tem destas coisas... 50%, ou mais, da população não está no país de origem a sensação de solidão é quase constante e por isso procuramos avidamente novos amigos que façam esquecer a saudade da familia e dos que ficaram a largos quilometros de distância. No curso de inglês, que comecei na sexta em que a primeira aula correu bem, em Franceses, Italianos, uma Espanhola, um Brasileiro e sei lá eu mais... é muito internacional... o certo é que todos estamos no mesmo barco, uma casa que não é nossa mas que nos deu oportunidade para viver, uns por pouco tempo outros para uma vida.
A C. chegou a semana passada a Inglaterra e anda meio perdida, segundo ela, veio passar um ano para estudar inglês. Mas alguém que vive numa das mais belas cidades da Europa (segundo a minha opinião, claro) e gosta mais de Londres, o mais certo é ao fim de um ano ficar, e adeus Barcelona! Mas ela continua a dizer que não, não com muita firmeza, mas vai dizendo que tem de voltar porque a mãe a "mataria"... não será essa a vontade secreta de todas as mães quando dizemos que vamos viver a mais do que 100km de distância?
Mas o importante é que tentei ajudar a C. a não se perder e acabámos por ficar amigas e partilhar algumas horas de amena cavaqueira no sábado ao fim do dia.

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Primeiro dia de aulas!

Ontem fui finalmente inscrever-me no curso de inglês, ao fim de algumas pesquisas na net e na biblioteca aqui da zona onde moro, encontrei um curso relativamente perto de casa, numa escola credenciada e acessivel a nivel monetario, uma vez que é parcialmente subsidiado pelos fundos europeus e eu sou uma cidadã europeia, caso contrário pagava forte e feio!
Hoje vou ter a minha primeira aula, infelizmente o curso já começou a semana passada por isso perdi algumas aulas, mas nada de especial. Vamos lá ver como me saio hoje!

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Hoje passei no teu blog...

...e estavas triste, revoltada com a vida, com as pessoas, principalmente com as pessoas mais chegadas que te amam acima de tudo. Peço-te que não desanimes, um dia vais ter o teu espaço, e se pensares bem podia ser já amanhã, apenas não tens coragem de mudar. De te veres só de um momento para o outro, medo de não conseguires pagar as contas e ainda sobrar algum para a lingerie que tanto desejas e a mala que viste na montra. Tens razão, quando fizeres a mudança que tanto desejas e que no fundo tanto temes não terás dinheiro para a lingerie e haverá momentos em que te irás sentir muito só. Mas a lingerie pode ser-te oferecida e a companhia... é só apareceres, lá por não estares na mesma casa não significa que deixarão de estar presentes sempre que tu os chamares. Por outro lado terás uma chave só para ti o que te trará uma vida nova, uma liberdade que ainda não conheces e uma independencia que, com algum sacrificio, vais acabar por adorar e nunca mais querer abandonar.
Por isso minha amiga... está na hora de dar o grande passo, só gostava de estar aí para te ajudar!

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

2010

E aqui estou eu, a mulher dos planos, dos objectivos, das ideias... mas pasmem-se... os planos para 2010 são..........

SER FELIZ!

Não quero saber como, onde, se vou tirar outro curso, se vou trabalhar de empregada de mesa, se vou morar num Studio ou numa moradia, se vou estar em Londres ou em Liverpool... seja como for... apenas farei o que me faz feliz por isso... este é o meu ano de ser EGOISTA! Quem não gostar que deixe passar, pode ser que em 2011 eu volte a pensar em todos os outros antes de mim.

terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Procura-se!

Um bom dentista e um bom cabeleireiro, se virem algum por aí avisem é quase urgente!

Mais um post do ano passado!

Em Dezembro, numa qualquer sexta-feira à noite, nem sei ao certo o porquê, o meu estômago decidiu acordar a meio da noite e dizer: "ou vais à casa-de-banho já ou vai ser mesmo aqui e aí quero ver-te a dormir com a cama molhada!" Como pude e não pude lá cambaleei até à sanita e cá vai disto, vomitei o que comi e até o que não comi. Quando tudo me doia e pensava que tinha terminado, "ufa não pode haver mais para vomitar e sinto uma leve sensação de alivio, acho que está na hora de voltar para o quentinho". Já na cama, poucos minutos depois de estar deitada a sensação de que ainda não era desta... e lá fui eu a caminho da sanita...
Uma hora depois o cenário permanecia o mesmo: cama-sanita-alivio-cama-sanita... com o estomago a doer, nada mais para deitar para fora, desidratação à porta... hora de tomar a dura decisão: Vamos ao Hospital!
Vesti o que pude e como pude e lá fomos... já me imaginava a passar a noite na sala de espera com um saco à frente não fosse a coisa apertar, montes de gente a conversar sobre as suas maselas que são sempre piores que as do vizinho.
Mas... o hospital parecia deserto, será que fecharam as urgências - pensei eu - está tudo tão escuro, não se vê ninguém, chega a meter medo!
Entramos na sala de espera, cheia de lugares vazios, dirigimo-nos à recepção e após algumas perguntas mandam-me esperar para ser vista por uma enfermeira.
Acomodei-me e pensei - a noite vai ser longa. Com certeza que irei passar desta para outra sala cheia de gente e apodrecer lá até de madrugada, estava ainda a acabar o meu pensamento e lá chamaram a Maria. Mais perguntas, tensão, perguntas... e finalmente o veredito: "aguarde aqui um bocadinho que eu vou falar com o médico". Ok pensei eu, mas porque não falo eu com o médico?! Ao fim de alguns minutos chegou a enfermeira com um analgésico, um copo de água e o veredito final: neste caso não podemos fazer nada, vá para casa e tente manter-se hidratada... (e desfaça-se em vomito e volte quando estiver morta para fazermos a autópsia e aproveitarmos o que podermos dos seus orgãos mal tratados!) Tomei o medicamento que depressa voltou para fora assim que cheguei a casa, sentei-me na cama com uma bacia e já não me lembro quando consegui adormecer... Quando acordei estava viva e vazia, o que é sempre bom depois de ter sido atropelada por um camião.
Moral da história? Descobri o segredo das urgências vazias, se os médicos portugueses descobrem não querem outra coisa!

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Ainda o ano passado...

Como as novidades ficaram à espera de ser contadas aqui vou eu voltar a 2009...

Em finais de Outubro, altura em que também fizemos o contrato de arrendamente, consegui trabalho. Era preciso um rendimento extra para comprar tudo o que uma casa precisa para nos dar alguma comodidade.

Quando saí de Portugal tinha vários trabalhos, fazia decoração de espaços para crianças assim como peças personalizadas feitas à mão para a decoração dos espaços e para venda individual, desenvolvia projectos de execução de arquitectura para outros arquitectos, fazia trabalhos de design gráfico, e por ultimo tinha um part-time num café/restaurante durante a hora de almoço. Passava o tempo a trabalhar para pagar contas e pouco mais e mesmo assim... quantas vezes não trabalhei e cheguei ao fim e não vi 1 euro... infelizmente a honestidade não cabe na personalidade de todas as pessoas.

Mas voltando a Londres... com dificuldade em me exprimir fluentemente em inglês e com vontade de trabalhar para cumprir mais rápidamente o objectivo de montar casa. Fui pedir trabalho a um café português, dois ou três dias depois estava a trabalhar 6 dias por semana na empresa de restauração portuguesa e a receber mais de 1000libras/mês. Dois meses e meio depois, missão cumprida, estava na hora de reduzir as horas de trabalho para me dedicar ao que interessava, aprender inglês fluente e procurar evoluir na minha verdadeira área de trabalho.

O café não teve abertura para que eu trabalhasse apenas 5 dias à semana mesmo a ganhar menos, é chegada a altura de tomar decisões, ou matinha um trabalho no qual não me via no futuro e mantinha uma vida folgada, ou simplesmente voltava para casa com vista a evoluir na minha área e a contar os tostões até ao fim do mês.
Como nada acontece por acaso, o D. foi promovido, um dos managers começou a fazer-me a vida negra no café, a empresa demonstrava uma desorganização tipicamente portuguesa e eu já fazia o trabalho de 3 porque metade do pessoal decidiu tirar férias no Natal e a empresa concordou.
Resumindo... tudo me ajudou a tomar uma decisão... Ano Novo, vida nova!

Como de tudo na vida se tiram aprendizagens e se guarda conhecimento, posso dizer que o meu inglês melhorou ligeiramente (assim como a minha confiança nele), já sei fazer latte tricolor, capuchinos e mokas, e tantas outras coisas diferentes dos cafés em portugal... e lembrem-me, caso eu me esqueça, para não voltar a trabalhar para empresas portuguesas em Inglaterra!!!!

E por hoje fiquemos por aqui, para a próxima eu conto a minha breve passagem por um hospital inglês!!!! Entretanto continuem a fazer planos para 2010 e tenham um ano cheio de emoções!

segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

Birds and squirrels all day long!

Com internet remediada embora lenta e instável vamos lá preencher as folhas vazias deste bloco de notas dentro do possivel.
E 2009 conheceu o seu fim, é tempo de fazer projectos e determinar objectivos, se bem que eu faço-os a toda a hora!

No inicio de Novembro passado mudámo-nos para a tão desejada casa. Como não queriamos nada muito caro mas com algum conforto, optámos por não ter muito espaço, menos para mobilar, menos para limpar, menos custos associados. No fundo os objectivos eram não ficar muito longe do trabalho, não ficar no congestion charge, ter privacidade e conseguir juntar algum após contas pagas durante alguns meses. Vimos muitas casas, studios flat e 1bedroom flat e encontrámos a opção certa para momento com um contrato de apenas 6 meses o que nos permite mudar se não estiver-nos satisfeitos ou ficar quanto tempo quisermos se for esse o nosso desejo.
Com vista e acesso a um pequeno jardim da magnifica casa victoriana, onde os esquilos passeiam e os pássaros roubam as migalhas de pão atiradas pela janela, o nosso studio, após 2 meses, encontra-se totalmente mobilado e equipado, com toda a comodidade necessária com direito a árvore de natal e tudo!